14 dezembro 2005

Tarde Vos amei


Relato de uma conversão


Tarde Vos amei ó Beleza tão antiga e tão nova, tarde Vos amei!
Eis que habitáveis dentro de mim e eu lá fora a procurar-Vos!
Disforme , lameava-me sobre estas formosuras que criastes.
Estáveis comigo e eu não estava convosco!
Retinha-me longe de Vós aquilo que não existiria se não existisse em Vós.
Porém
chamastes-me com uma voz tão forte que rompestes a minha surdez!
Brilhastes e Cintilastes e logo afugentastes a minha cegueira!
Exalastes perfume: respirei-o, suspirando por Vós.
Saboreei-Vos, e agora tenho fome e sede de Vós.
Tocastes-me e ardi no desejo da vossa paz.


Esse é um trecho da fantástica obra de Agostinho de Hipona, as suas Confissões.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home